Chuva de prata - ok

Chuva de Prata em nova embalagem ganha praticidade e destaque nas gôndolas

As mudanças na garrafa e no rótulo trazem uma série de vantagens na cadeia de produção, logística e nos pontos de venda

Os brasileiros que já estão se preparando para as festas de fim de ano já podem encontrar a Chuva de Prata, uma das marcas líderes da categoria sidra-filtrados, segundo a consultoria AC Nielsen, com visual novo. Aliás, a marca da CRS Brands acaba de passar pela maior reestruturação da embalagem nos últimos anos, tanto para ganhar mais visibilidade nas gôndolas como também para otimizar toda a cadeia de produção, envolvendo desde a linha de envase, logística até o ponto de venda.

O projeto de modernização da embalagem da Chuva de Prata tem como objetivo melhorar o custo/benefício da produção e distribuição. As mudanças incluem o redesing da garrafa de vidro pela Owens-Illinois, e modernização do rótulo.

A embalagem ganhou um formato cônico, tipo Champagne, com a base mais estreita, que proporciona uma série de vantagens. O novo design garante maior estabilidade das garrafas na linha de produção, o que evita que tombem e quebrem durante o envase, reduzindo dessa forma desperdícios. Promove ainda economia de 30% a cada set-up da linha de produção e garante maior proteção aos rótulos por ter ponto de contato duplo.

Na área de logística, a nova garrafa da Chuva de Prata ocupa menos espaço no estoque, reduzindo o número de paletes utilizados, que passou de 44 para 56 caixas por palete. A nova configuração da embalagem ainda permite colocar uma quantidade maior de caixas no mesmo caminhão com baú, sem ultrapassar o limite de peso, e carregar maior número de caixas  sem a necessidade de mão de obra extra para remontar carga, colocando caixas sobre os paletes já carregados. Como são necessários menos veículos para transporte, a economia de frete de coleta (da vidraria para fábrica) chega a 17%, além da redução da emissão de carbono.

Já o rótulo foi renovado tanto no design como na medida. O rótulo, agora sleeve, está com altura maior, porém mantém a mesma área de impressão, e por isso utiliza a mesma quantidade de matéria-prima. Outra mudança foi feita na tipografia da logomarca do produto, que está em corpo maior ocupando duas linhas e fonte menos rebuscada, para deixá-la mais legível e aumentar a concentração do ponto focal.

Foram incluídas uma gargaleira em preto e detalhes em dourado para deixar produto com visual mais sofisticado. Agora a gargaleira e os rótulos são impressos juntos, em uma única folha, reduzindo o número de itens e proporcionando em economia em escala na compra desses insumos.

Os benefícios da nova embalagem também se revertem aos consumidores. A Chuva de Prata chega às gôndolas com mesmo preço, sem ter o volume do produto reduzido.

Chuva de Prata – Informações a embalagem

Fornecedor da garrafa de vidro: Owens Illinois do Brasil

Design do rótulo: DZ Design

Gráfica: Baumgarten

CRS BRANDS desde 1926

A empresa, que se destaca entre as mais expressivas indústrias brasileiras de bebidas alcoólicas da América Latina, é também detentora de diversas marcas Chuva de Prata, dos tradicionais vinhos Dom Bosco e Massimiliano, Sidra Cereser, do vermouth Cortezano, das vodkas Kadov e Roskoff, aguardente 88, aperitivo com malte whisky Chanceler, e, agora, a grande novidade dos espumantes Georges Aubert. Com unidades fabris em Jundiaí (SP) e em Suape (PE), que juntas somam capacidade para armazenar até 20 milhões de litros, seus produtos são exportados para mais de 40 países na América Latina, África e Ásia.

Fonte: Lilás Comunicação

Os textos publicados neste espaço são de responsabilidade única de seus autores e podem não expressar
necessariamente a opinião do Portal.